Metaverso: conheça a tendência que promete transformar o mundo digital

A maior revolução digital desde a criação dos smartphones. É dessa forma que muitos enxergam a concretização do Metaverso.

A ideia tem estado cada vez mais próxima e recentemente ganhou um contorno importante. Isso porque Mark Zuckerberg rebatizou o Facebook, nomeando a companhia de “Meta”. A decisão só evidencia o objetivo do empresário de investir em um novo olhar sobre a internet. E ele não é o único. Outros nomes de peso já apostam nesta realidade, como o fundador da Microsoft, por exemplo.

Mas o que de fato é o Metaverso? E que mudanças ele pode trazer para a nossa maneira de viver e nos conectar? É sobre isso que vamos falar neste artigo. Confira!

O que é o Metaverso

Apesar de definir uma tendência super atual, a expressão “metaverso” não é tão nova assim. Ela começou a ser utilizada na literatura, por uma vertente da ficção científica chamada de “cyberpunk”. O cinema também trouxe interpretações a este possível universo altamente tecnológico. Os filmes “Matrix” e “Jogador n° 1” foram alguns que o utilizaram em seus enredos.

O conceito de metaverso pode ser entendido como um mundo virtual, onde as pessoas interagem entre si e com o todo. Sabe a forma como navegamos na internet hoje, passeando pela tela e visualizando as mais diversas formas de conteúdos? A proposta do metaverso é ir além, é nos levar para dentro daquilo que hoje só vemos.

Imagine fazer compras online tendo a sensação de realmente passear pelos corredores de uma loja. Imagine se reunir com colegas de trabalho em uma reunião utilizando salas 3D e avatares. Por aí nós podemos começar a entender.

Na construção do metaverso, uma série de recursos serão responsáveis por possibilitar a experiência. Realidade virtual, realidade aumentada, inteligência artificial e criptomoedas estão entre eles.

Exemplos de uso do Metaverso e até onde ele pode chegar

Por mais que o metaverso seja capaz de atingir proporções gigantes, você sabia que ele é usado em certo nível hoje? Os jogos estão aí para provar.

Um dos mais claros exemplos de utilização do metaverso, ainda que em uma escala menor, é o do game Fortnite. No cenário criado pelo jogo, os usuários interagem com amigos, desempenham funções e até mesmo acompanham atrações. Para ter uma ideia, um show virtual da cantora Ariana Grande já foi realizado ali, atraindo milhões de pessoas.

Outro caso inovador que podemos destacar é o do Second Life, criado lá no início dos anos 2000. Naquela época o simulador já tinha a proposta de funcionar como um ambiente virtual parecido com a vida real. Ali os seres humanos poderiam conviver e realizar atividades. No entanto, as limitações de conexão e processamento se tornaram um empecilho para a popularização do projeto.

Pensando no futuro, não é tarefa fácil prever o alcance do metaverso. Por outro lado, a certeza é de que vai impactar muito mais do que o entretenimento e a maneira como conhecemos as mídias sociais. Educação, comércio, trabalho: cada setor terá espaço na transformação.

Já pensou em frequentar uma sala de aula que ultrapassa fronteiras, reunindo avatares de várias partes do mundo em um ambiente imersivo de aprendizagem?

Os desafios da acessibilidade

Interações de amplo alcance, praticidade nas tarefas, novas possibilidades de carreiras. É possível citar uma série de impactos positivos se considerarmos o bom uso do metaverso. Mas, é claro, também existem desafios. E um dos principais é a acessibilidade.

Até que o objetivo atinja realmente a população, se tornando parte do dia a dia, há bastante trabalho a ser feito. Todo esse universo conta com a necessidade de ferramentas que facilitam a experiência. Óculos de realidade aumentada e objetos com sensor de movimento, por exemplo. O que significa que requer custos. Além disso, a velocidade de transmissão de dados pede um avanço em termos de redes e banda larga.

Ao que tudo indica, essa expansão tecnológica vai seguir acontecendo por etapas. Especialistas apontam que o mais provável é que comece pelas empresas, com novas maneiras de realizar eventos, treinamentos e trabalhos remotos.

Seja como for, as altas expectativas e os investimentos bilionários no metaverso garantem que ele está mais próximo do que nunca. Dessa forma, podemos esperar um futuro com ainda menos barreiras entre o digital e o físico.

Gostou do artigo? Então conheça as redes sociais do Global Hub e siga conectado conosco:

Instagram: @uninterglobalhub

Facebook: @uninterglobalhub

Linkedin: UNINTER – Global Hub

Youtube: UNINTER Global Hub

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no WhatsApp