Big Data na educação: entenda a influência da tecnologia no ensino

Você já se flagrou pesquisando um produto e, logo depois, encontrando um anúncio dele no seu Instagram? Já parou para pensar em como o Youtube e a Netflix exibem sugestões de acordo com os seus gostos? Isso acontece porque nossas ações pelo mundo digital criam pegadas que ajudam a traçar um perfil de comportamento. É o conjunto delas que chamamos de Big Data.

A tendência é tão presente no cenário atual que seu mercado pode atingir mais de 70 bilhões de dólares até 2023, segundo levantamento.

Sendo assim, não é difícil imaginar como o setor impacta negócios, gerando receita e otimizando o consumo. Mas ele ainda vai além, trazendo resultados positivos, inclusive, em termos sociais. Como na promoção do ensino.

Neste artigo, você vai entender a influência da tecnologia Big Data na educação e como ela pode ser utilizada para trazer benefícios inestimáveis. Confira!

O que é Big Data e qual é a sua utilização na prática?

Big Data, em resumo, é o volume de dados gerados pelo usuário de um determinado serviço. No digital, são todas aquelas informações proporcionadas pela navegação virtual. Entre elas estão fichas, cadastros, histórico de acessos, dados geográficos, trilha percorrida em um site. Ou seja, vão das mais estruturadas até as mais gerais.

Dentro das organizações, esses dados são analisados com o objetivo de entender os interesses e a relação do consumidor com a empresa. Dessa forma, estratégias podem ser implantadas com maior consistência.

Eles também ajudam a detectar falhas; onde exatamente uma melhoria deve ser feita; quais produtos e serviços despertam interesse no público-alvo; taxa de engajamento; entre outros pontos.

Big Data na educação: quais são os impactos?

Só de ler sobre as vantagens do Big Data dentro dos negócios já é possível estabelecer paralelos com outras áreas. Na aprendizagem, essa capacidade de registrar e perceber comportamentos é um divisor de águas.

Investigar as ações e resultados do aluno trazem ganhos em vários aspectos. E hoje em dia, ferramentas tecnológicas para fazer isso não faltam. Programas de simulados on-line, gerenciadores de conteúdo, ambientes virtuais de aprendizagem e sistema integrado de avaliação são só algumas.

Veja os principais resultados positivos gerados pela união de Big Data e educação:

Plataformas educacionais mais eficientes

O Big Data pode ser utilizado para a criação de plataformas educacionais que caminham junto com as necessidades do estudante e dos professores. Por exemplo: tendo acesso ao desempenho do aluno na realização de exercícios de diferentes disciplinas, o sistema começa a traçar um plano de estudos adaptado. Assim, passa a exibir mais conteúdos daquela matéria em que tem dificuldade.

Para os docentes, é capaz de gerar relatórios e métricas, favorecendo um olhar cuidadoso para cada situação discente em especial.

Identificação de necessidades individuais e coletivas

Complementando o benefício que comentamos ali em cima, nós podemos citar a maior facilidade em definir onde estão os problemas de aprendizagem. Com o Big Data na educação é mais simples ter um controle do aproveitamento individual e coletivo, assim como verificar e comparar avaliações.

A atividade faz com que o professor e até mesmo a gestão consiga reconhecer se há alguma deficiência de conteúdo, se a turma inteira está demonstrando dificuldade em uma disciplina, e se é o caso de estabelecer um outro método de ensino, com diferentes recursos.

O resultado da didática, inclusive, é um dado que merece atenção. Talvez um aluno tenha baixo rendimento em uma prova escrita, mas demonstre facilidade com métodos de pesquisa ou aulas práticas. Conclusão: fazer o comparativo e tal descoberta, através da análise dos dados, representará um salto em sua aprendizagem.

Controle de evolução do ensino

Não há melhor forma de verificar aprendizado do que medindo o progresso do estudante. Mais do que provas ou trabalhos específicos, é a evolução a cada aula que atesta se um assunto está sendo assimilado. Utilizar a tecnologia para fazer isso é tirar proveito, por exemplo, de quizzes, relatórios personalizados e demais avaliações diagnósticas.

E onde o Big Data entra nisso? Com ele, os resultados gerados por essas ferramentas ficam registrados. Eles formam, assim, uma linha do tempo precisa, que mostra todo o histórico do aluno.

Diminuição da evasão

Combater a evasão é um desafio recorrente na educação, em qualquer etapa do ensino. As técnicas de Big Data não auxiliam apenas no controle de frequência, mas também nas atitudes a serem tomadas para reverter um possível abandono do estudante.

Recorrer aos dados de comparecimento torna a gestão mais propensa a descobrir quais pessoas estão prestes a deixar a instituição. A partir daí, outras análises facilitam o trabalho de busca por soluções, gerando permanência. Alguns deles: estatísticas de satisfação, de desempenho em aula e de inadimplência.

Fora que o acompanhamento constante da jornada do aluno torna mais claro seu nível de interesse. O que facilita adaptações antes mesmo da evasão se tornar uma possibilidade.

Como podemos ver, utilizar o Big Data na educação é contar com um forte aliado. Além dos impactos já mencionados, ainda há espaço para outros. Quer um exemplo? Diante das descobertas que é capaz de fazer, já imaginou como pode favorecer o direcionamento profissional? Sem dúvidas, é uma ferramenta que merece fazer parte do dia a dia pedagógico.

Gostou do artigo? Agora conheça as redes sociais do Global Hub para continuar conectado conosco:

Instagram: @uninterglobalhub

Facebook: @uninterglobalhub

Linkedin: UNINTER – Global Hub

Youtube: UNINTER Global Hub

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no WhatsApp