O que é e como funciona o intercâmbio de trabalho?

O intercâmbio de trabalho é aquele que permite a realização de atividade remunerada durante a estadia em outro país. Recebendo salário, o intercambista pode, inclusive, arcar com as próprias despesas da viagem.

Quem busca essa experiência no exterior encontra boas possibilidades. Ela abrange aperfeiçoamento de carreira, viagem para trabalhar e estudar, ou, ainda, a união de trabalho com turismo. O que isso significa? Que, independentemente do objetivo, é possível encontrar uma oportunidade que tenha tudo a ver com o seu perfil.

Mas, apesar da ideia atrativa, algumas dúvidas ainda surgem quando pensamos na prática. Por exemplo: quais são as opções de destinos? E qual é o valor do pagamento? Pensando nisso, reunimos informações para que você consiga entender melhor esse tipo de modalidade. Vamos a elas!

Vantagens do intercâmbio de trabalho

Antes de começar a colocar um plano ou desejo em prática, é sempre legal considerar os pontos positivos que traz. Neste caso, a lista é grande. Qualquer forma de intercâmbio já é capaz de oferecer benefícios para toda a vida e no de trabalho não é diferente.

As habilidades comportamentais adquiridas em uma vivência internacional são incontáveis! Para citar algumas, podemos falar da inteligência emocional, flexibilidade e capacidade de resolução de problemas. Todas, sem exceção, são úteis no dia a dia e muito valorizadas no ambiente profissional.

E por falar em profissão, um currículo que inclui trabalho em outro país tende a chamar atenção dos recrutadores. Isso porque deixa evidente algumas capacidades, como o ato de se desafiar e de estar aberto ao desenvolvimento da interpessoalidade.

Ainda existe o fator economia. Assim como falamos na introdução, receber por seus serviços acaba tornando o intercâmbio mais barato. Com a remuneração dá para custear acomodação, gastos pessoais e outros itens. Colocando na ponta do lápis, o valor do investimento pesa bem menos no bolso.

Tipos mais comuns de intercâmbio

Apesar de terem um mesmo objetivo em comum, os tipos de intercâmbio de trabalho se diferem em certos aspectos. Há chances voltadas para melhorar o inglês, com tarefas operacionais e de contato constante com o público. Assim como há funções em carreiras específicas, para quem busca se manter em determinada área de atuação.

Cada uma das opções tem suas próprias características. Abaixo você encontra as principais e descobre mais sobre elas:

Intercâmbio de estudo e trabalho

O intercâmbio de estudo e trabalho já é famoso quando o assunto é experiência profissional em outro país. Através dele é possível fazer um curso no exterior e trabalhar em ritmo de meio período. Vale lembrar que a autorização para desempenhar atividade remunerada só é válida para estudantes, então é preciso comprovar matrícula ao solicitar o visto.

Com a permissão em mãos, o aluno estrangeiro pode começar a buscar emprego. As oportunidades normalmente são para funções de atendimento ao público, o que favorece bastante o domínio de uma nova língua.

Alguns países que permitem intercâmbio de trabalho e estudo são:

  • Irlanda;
  • Austrália;
  • Nova Zelândia;
  • Malta;
  • Emirados Árabes (Dubai);
  • Espanha;
  • Canadá (tem exigências bem específicas e um processo mais demorado).

Cada lugar possui seus próprios requisitos, que vão de duração mínima do curso até nível de idioma. É importante estar atento às exigências do seu preferido.

Work and Travel

O Work and Travel é uma modalidade popular entre os que querem passar uma temporada trabalhando e conhecendo os Estados Unidos. Ele é direcionado a universitários que tem entre 18 e 28 anos.

A proposta é simples e convidativa: são 3 ou 4 meses de imersão no país, em uma época do ano que combina com as férias da faculdade. Ou seja, o jovem consegue viajar sem que precise perder um semestre inteiro de estudos.

Uma vez em terras norte-americanas, pode trabalhar em lugares como estações de esqui, cafeterias, hotéis e restaurantes. O último mês é reservado para férias, momento em que fica livre para se aventurar por outros destinos.

Estágio e trabalho profissionais

Estagiar ou trabalhar na sua própria área de atuação também é possível. Nesse caso, os interessados devem ficar de olho em programas com esta finalidade. Como o do Banco Mundial, por exemplo. O Young Professionals Program recruta profissionais de vários setores para estágios em suas instituições.

As oportunidades normalmente são direcionadas a estudantes de graduação, pós-graduação ou recém-formados. Também é necessário ter nível avançado de inglês (ou na língua nativa do país onde vai trabalhar). Entre os locais que oferecem a experiência estão os Estados Unidos e a Austrália.

Qual é a carga horária de trabalho

Uma dúvida recorrente é sobre a quantidade de horas trabalhadas durante o emprego no intercâmbio. A resposta varia de acordo com o tipo de trabalho.

Na vivência que inclui curso, a carga horária permitida é de 20 horas semanais em épocas normais e de 40 horas semanais durante as férias. Isso porque o expediente não pode tomar espaço da aprendizagem.

Já no Work and Travel, esse número aumenta. O funcionário intercambista trabalha no mínimo por 32 horas semanais e pode fazer horas extras.

Nas situações em que você viaja para estagiar ou trabalhar no seu campo profissional, os horários são definidos previamente pelo projeto ou empresa contratante.

Quanto recebe

O salário recebido no trabalho depende, claro, de uma série de fatores. Um deles é o país de destino. Os programas de estudo com trabalho e Work and Travel possuem uma média salarial atual.

Seus valores são aproximados, podem mudar, mas as estimativas são:

  • Irlanda: 10 euros por hora;
  • Austrália: 18 dólares australianos por hora;
  • Nova Zelândia: 17 dólares neozelandeses por hora;
  • Emirados Árabes (Dubai): 10 a 30 dólares por hora;
  • Espanha: 10 euros por hora;
  • Canadá: 11 dólares canadenses por hora;
  • Estados Unidos (work and travel): 10 a 15 dólares por hora.

Quanto mais descobrimos detalhes sobre o intercâmbio de trabalho, mais interessante a ideia parece. Com ele, a intensidade da vivência internacional é elevada ao máximo! E então, já está com vontade de preparar as malas?

Se gostou do artigo, conecte-se conosco através das redes sociais do Global Hub:

Instagram: @uninterglobalhub

Facebook: @uninterglobalhub

Linkedin: UNINTER Global Hub

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no WhatsApp