Criatividade no trabalho: 7 dicas para estimular a sua

Quando falamos sobre mentes criativas, logo pensamos em grandes gênios e artistas notáveis. Não é incomum achar que esse é um talento reservado a uma parcela de pessoas que já nasceram com tal aptidão apurada. Mas essa crença está distante da realidade. Seja no cotidiano ou na aplicação da criatividade no trabalho, a habilidade está presente e é acessível a todos.

Não se trata de um dom natural. Assim como qualquer competência, a criatividade pode e deve ser desenvolvida ao longo da vida. E para fazer isso, adotar algumas práticas é importante. Elas são simples e, quando inseridas no contexto diário, trazem ganhos para a capacidade de criação e inovação.

Neste artigo, listamos 7 dicas para melhorar sua relação com a criatividade no ambiente profissional. Confira!

O que é criatividade e qual a sua importância no trabalho

O conceito de criatividade está relacionado à eficácia em inventar e reinventar. Ser criativo é enxergar diferentes possibilidades dentro de um cenário. Também é observar os ângulos existentes sobre um assunto com o objetivo de estabelecer novos pontos de vista.

No universo corporativo, isso significa um colaborador capaz de pensar fora da caixa, de criar soluções. Além disso, um profissional criativo mostra domínio em lidar com diversas situações. Sua importância para o mercado é tanta que a criatividade é considerada uma das 10 competências mais valorizadas atualmente, segundo o Fórum Econômico Mundial.

O estudo ainda mostra que a habilidade será altamente exigida no futuro, tornando-se fator de destaque em qualquer setor de atuação.

Como estimular a criatividade no trabalho

Você não nasceu aprendendo a falar um determinado idioma, certo? Seja a sua língua nativa ou uma segunda, o processo de aprendizagem foi acontecendo graças ao estímulo. É a prática que nos leva ao êxito em uma habilidade e com a criatividade não é diferente.

Exercitá-la é o segredo para desenvolvê-la e, principalmente, para mantê-la por perto. E o exercício se dá adotando novos hábitos e uma proximidade maior com diferentes maneiras de pensar.

Veja como explorar seu potencial criativo:

1. Mantenha-se aberto

O primeiro passo para desenvolver a criatividade no trabalho é ampliar sua visão dentro e fora dele. Observe mais o que acontece ao seu redor, treine o ato de enxergar detalhes. No caminho para o escritório ou na reunião virtual, esteja com a atenção inteiramente presente.

Quanto mais você percebe, mais tem chance de entender necessidades e encontrar inspiração para ideias. Muitas vezes ela vem de lugares surpreendentes (como durante uma conversa despretensiosa ou reparando em um objeto, por exemplo). Há empreendedores, inclusive, que iniciaram feitos dessa forma. Steve Jobs foi um deles.

2. Informe-se

Informação é valiosa para criar um repertório amplo. Consequentemente, o repertório amplo oferece mais segurança na hora de pensar em novas tendências.

Por isso, não abra mão de se manter informado. Acompanhe portais e blogs confiáveis, assine newsletters, leia muito, mantenha-se antenado sobre atualidades. Faça isso com temas dentro da sua área e procure ir além dela. O contato com assuntos diferentes gera insights muito interessantes e aumenta sua bagagem.

3. Tenha novas experiências

Nada é mais prejudicial à criatividade do que o convívio com uma rotina fixa. Acordar, desempenhar sua função exatamente como todos os outros dias, assistir ao mesmo programa de TV. O ato de repetir ações vai estabelecendo uma zona de conforto cerebral, tornando o pensamento criativo mais dificultoso. É como a prática de exercícios físicos, sabe? Se o corpo não está adaptado, o rendimento é menor.

Uma maneira de evitar que isso aconteça é se permitindo viver experiências novas. E nem é preciso pensar em saídas mirabolantes. Testar um outro trajeto até a empresa, experimentar um prato novo, passar o final de semana em um lugar onde nunca foi antes. Pode não parecer, mas passos simples como esses têm o poder de acionar diferentes áreas do cérebro e mantê-lo trabalhando a seu favor.

A ação também pode ser desempenhada dentro do próprio trabalho. Que tal alternar o horário de cada tarefa ou propor a formação de equipes multidisciplinares para um projeto?

4. Seja paciente com as próprias falhas

Quer conhecer algo que os gigantes nomes da criatividade têm em comum? Todos eles, em algum momento, falharam. E, a partir disso, puderam aperfeiçoar seus pensamentos e ações.

Errar e se deparar com algumas limitações pelo caminho é normal. As falhas nos deixam mais alertas e nos fazem aprender. Por conta disso, não tenha medo de arriscar ou de que alguma de suas ideias sejam rejeitadas. O receio só fará com que você reprima seu tino criativo.

5. Acione o modo questionador

Jean Piaget, um dos principais estudiosos da educação, dizia que a infância é o tempo de maior criatividade na vida de uma pessoa. Uma característica forte nas crianças e que ajuda a compreender essa afirmação é a curiosidade, a busca pelos “porquês”.

Conforme crescemos, esse hábito fica em menor evidência, é como se estivéssemos condicionados a estabelecer (e aceitar) certezas padrões. Para nadar contra a corrente, o ideal é exercitar o questionamento.

No trabalho, procure entender a fundo os processos, questione-se sobre modos diferentes de realizar uma mesma atividade, investigue necessidades. Esse potencial é um forte aliado das soluções. Foi investigando problemas e pensando em respostas que poderosas organizações deram seu passo inicial.

6. Anote pensamentos e ideias

À medida que a criatividade é estimulada, ideias começam a surgir. Não existe um instante certo para elas, podem aparecer até mesmo durante um banho ou nos dias de folga. Algumas são boas, outras nem tanto… O fundamental é que haja espaço para que fluam. Portanto, busque registrar seus pensamentos e inspirações. É possível escrevê-los a mão, no bloco de notas do celular ou em um aplicativo de agenda.

Tirando as ideias da sua cabeça, você não as contém, deixando sua mente livre para que mais surjam. Além do mais, tem a oportunidade de trabalhar em cima das anotações, lapidando suas criações. Gratas surpresas podem sair dessa “brincadeira”.

7. Estabeleça troca com as pessoas

Independentemente da esfera em que atue, o contato com o outro é essencial. Dialogar e falar sobre ideias é uma atitude que facilita o processo criativo por dois motivos.

Um deles é porque, ao externalizá-las, é possível ter uma nova perspectiva e identificar detalhes. É como se estivesse dando vida a um projeto. A segunda razão é a parceria. Compartilhar leva você a ouvir outras opiniões e receber considerações relevantes.

Quando se trata da criatividade no trabalho, constância é a palavra. Incorporar essas sugestões na sua vivência faz com que esteja frequentemente exercitando a habilidade. Com o tempo, o processo vai acontecendo de forma natural. Vale lembrar, ainda, que momentos de descanso são necessários, combinado? Assim como a mente precisa de estímulos, também precisa de pausas para trabalhar melhor.

Gostou do artigo? Então conheça as redes sociais do Global Hub e continue conectado conosco:

Instagram: @uninterglobalhub

Facebook: @uninterglobalhub

Linkedin: UNINTER Global Hub

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no WhatsApp